Faculdade de Holambra desenvolve projeto inédito para neutralizar emissão de gases de efeito estufa

Faculdade de Holambra desenvolve projeto inédito para neutralizar emissão de gases de efeito estufa

Segundo relatório das Nações Unidas divulgado em novembro, as emissões de gases de efeito estufa aumentaram no ano passado (2017), depois de três anos de estabilização. O estudo mostra que as emissões globais atingiram níveis históricos de 53,5 gigatoneladas de gás carbônico equivalente. Isso significa que, se persistir a tendência atual, até o fim do século, a temperatura global poderá subir pelo menos 3º Celsius (ºC).

Essa alta nas emissões de gases de efeito estufa ameaça as metas estabelecidas no Acordo de Paris, e para reverter a tendência negativa, o mundo vai precisar agir rápido e com mais empenho. Limitar o aquecimento a 2ºC exigirá que os países tripliquem seus esforços de combate ao aquecimento global até 2030, ou quintupliquem as ações para garantir um aumento da temperatura abaixo de 1,5° C, pelos cálculos da ONU.

De acordo com o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), para limitar o aquecimento abaixo de 1,5 ° C, as emissões de CO2 devem diminuir em 50% até 2030 e chegar ao zero líquido por volta de 2050.

O Brasil possui contribuições de mitigação para os anos 2020, 2025 e 2030, presentes na Lei nº 12.187/2009, que institui a Política Nacional sobre Mudança do Clima (PNMC); no Decreto nº 7.390/2010, que regulamenta a PNMC; e na Contribuição Nacionalmente Determinada (CND ou NDC) do Brasil, no âmbito do Acordo de Paris.

Nesse sentido, uma iniciativa desenvolvida no interior do estado de São Paulo chama a atenção pelo ineditismo. No município de Holambra (a 130 km da capital), a instituição de ensino superior FAAGROH (Faculdade de Agronegócios de Holambra) é responsável pelo projeto Foot Print Zero, que consistem no plantio de mudas de árvores para neutralizar a emissão de gás carbônico. “Estamos afinadíssimos com a preocupação climática, por isso desenvolvemos ações práticas”, emenda o diretor institucional da FAAGROH, professor Geraldo Eysink.

Ele explica que alunos, professores e colaboradores da Faculdade de Agronegócios de Holambra, preocupados com a sustentabilidade e na busca por evitar consequências do desequilíbrio ecológico, têm por iniciativa, anualmente, plantar a quantidade de árvores correspondente ao montante de CO2 emitido pelos veículos usados para translocação dos colaboradores, professores e alunos até a faculdade, que neutralizam o total de tal substância emitida durante todo o ano letivo.

Na mais recente ação, no sábado (8 de dezembro), foram plantadas 642 mudas de árvores nativas ante 83,37 toneladas de dióxido de carbono emitidas deste o início. O plantio foi próximo à nascente que percorre o Centro Esportivo Tubantia, em Holambra, para sua respectiva recuperação, a qual além de fornecerem água para os córregos e rios que abastecem toda a cidade, também são fonte de vida para outros organismos. As espécies escolhidas são pertencentes ao bioma Mata Atlântica, de suma importância, principalmente, por ser um dos mais biodiversos e desmatados do país.

“A instituição preza pela preservação do meio ambiente, pois o mundo inteiro é afetado pelo aquecimento global. Para isto, a forma de amenizar os efeitos é não cortar as árvores, mas sim plantá-las”, defende Eysink.

Eysnk acredita que por trás do projeto existe, em primeiro lugar, a conscientização do efeito global, e em segundo é mostrar que existem soluções. “Outro objetivo do projeto é tornar o aluno consciente que o agronegócio depende da água e que a problemática do aquecimento pode até se tornar um negócio. Ele pode abrir um viveiro ou coordenar um projeto de recuperação”, observa o diretor.

Além disso, informa Eysink, as mundas são produzidas pelos próprios alunos dos cursos de engenharia agronômica e o de área de agronegócios com ênfase em horticultura no decorrer do ano.

Aulas 100% práticas

Todos esses diferenciais demonstram todas as peculiaridades da FAAGROH, primeira faculdade do Brasil com instalações abertas e aulas 100% práticas, que completou um ano de funcionamento no dia 14 de agosto de 2018. A instituição iniciou as atividades ofertando o curso de área de agronegócios com ênfase em horticultura, formando a primeira turma, e no primeiro semestre de 2018 trouxe mais uma novidade, o lançamento do curso de engenharia agronômica.

Dentre os diferenciais, se destaca sua base curricular ampla, generalista e que, ao mesmo tempo, foca no processo de produção agrícola de culturas intensivas, estendendo a visão do aluno, garantindo sua formação para atuação nas mais diversas áreas do agronegócio.

Os cursos ofertados na FAGROH, em Holambra, têm por si só é um diferencial exclusivo: um campus totalmente dedicado ao agronegócio e desenhado para quebrar paradigmas clássicos do ensino. Sem salas de aula clássicas e com laboratórios e aulas em campo integradas, onde o aluno tem a possibilidade de vivenciar a nova modalidade de ensino, com aulas 100% práticas.

A novidade pode ser conferida de perto, uma vez que a FAAGROH está aberta diariamente de segunda a sexta-feira, a partir das 14h, para visitação. Quem tiver interesse em ingressar em um dos cursos, pode agendar a prova do vestibular continuado no 0800 775 55 55 ou no site da faculdade (faagroh.edu.br). O campus da FAAGROH fica à Estrada Municipal HBR 40, Gleba 5E, Seção C, Bairro Fundão – Holambra-SP.