Workshop de Cultivo em Solo na FAAGROH reúne especialistas de renome no mercado

Workshop de Cultivo em Solo na FAAGROH reúne especialistas de renome no mercado

A FAAGROH (Faculdade de Agronegócios de Holambra) recebeu três especialistas no dia 30 de abril para um workshop de cultivo em solo. Alunos da instituição e visitantes assistiram a palestras com os engenheiros agrônomos Pedro Furlani, Fernando Sala e José Taveira, que expuseram assuntos relacionados a tipos de cultivos, variedades, formulações de soluções nutritivas e uso de substrato.

“A realização desse evento vem de encontro à filosofa da instituição de trazer as pessoas que estão na ponta, trabalhando com a agricultura, e mostrar esse lado prático aos alunos. Além de colocar os estudantes em contato com empresas, com empresários rurais, para eles começarem a sentir essa necessidade de se aprimorar, de buscar mais conhecimento fora e não só o dado pelos professores dentro da faculdade”, pontou a professor Antônio Bliska Júnior, que coordenou o evento juntamente aos alunos que compõem o Gecssol (Grupo de Extensão em Cultivo sem Solo).

“Tivemos a felicidade de trazer três especialistas de renome no mercado, tanto é que o público correspondeu, não só de aluno, mas de pessoas de outras cidades. Teve gente que veio de Uberlândia (MG). Assim, atingimos outro objetivo que é divulgar o nome da faculdade”, acrescentou Bliska.

A primeira palestra foi do diretor da empresa de consultoria Conplant, Pedro Furlani, formado em engenharia agronômica há 50 anos. Ele falou sobre formulações de soluções nutritivas para NFT e cultivos em substrato. “Eu fiquei muito contente em conhecer a FAAGROH e ver como ela funciona. Nós estamos dentro de uma estufa, então acredito que aqui vai se formar profissionais que vão ter uma prática muito importante, porque hoje tem muita faculdade em que o aluno sai perdido, não sabe o que vai fazer depois de formado. Aqui tudo é dirigido, porque ele realmente entra no setor produtivo”, analisou Furlani.

Para o experiente agrônomo tudo que se acumula de conhecimento, de informação, é importante compartilhar. “Essa transmissão é muito importante, nunca me furtei a palestrar. Eu sou um tipo de consultor que quero despertar no produtor a vontade de aprender por si, do que ficar dependendo de consultoria. A FAAGROH tem uma importância muito grande no desenvolvimento da agricultura da região ou mesmo em nível de Brasil”, comentou.

A estrutura e a metodologia de ensino da FAAGROH também chamaram a atenção do segundo palestrante da noite. “Fiquei impressionado com a faculdade, que tem metodologia de ensino na qual prevalecem as aulas práticas”, elogiou Fernando Sala, que falou sobre variedades de alface para cultivo em NFT.

“Gostaria de parabenizar a todos pelo evento, por nos dar a oportunidade de falar de um assunto que só cresce no Brasil, que é o cultivo sem solo. Observamos que o cultivo de folhosas tem se expandido muito no país. Portanto, foi muito prudente e válido abordar esse tema”, avaliou Sala, que é professor da Universidade Federal de São Carlos.

A palestra sobre uso de substratos no cultivo de flores, hortaliças e frutíferas, do engenheiro agrônomo José Taveira, encerrou a programação do workshop. “Comparado com América do Norte e Europa, o Brasil ainda está engatinhando nessa área, portanto tem muito a evoluir no segmento de cultivo protegido, na melhoria de climatização de estufa, manejo, substratos, irrigação, aplicação de defensivos. Então, tem muito espaço para se evoluir e obter ganhos de produtividade e melhoria para o próprio país”, defendeu Taveira, que é diretor da empresa Plântula Consultoria.

O especialista comentou que a FAAGROH é uma faculdade voltada para o segmento de cultivo intensivo, protegido. “As demais faculdades de agronomia estão muito mais voltadas ao cultivo de extensivo para lavouras de soja, milho, café, cana, do que ao cultivo intensivo. E isso diferencia o curso aqui da FAAGROH dos outros cursos de graduação que eu vejo pelo Brasil afora”, comparou Taveira.