Alumni de Direito do Grupo UniEduK conquista visto na categoria EB2 NIW para atuação profissional nos EUA

Alumni de Direito do Grupo UniEduK conquista visto na categoria EB2 NIW para atuação profissional nos EUA

Formada pela UniFAJ em 2013, Camila de Souza Segalotti mora com a família em Utah nos Estados Unidos desde 2019. Em entrevista ao Grupo UniEduK, ela conta sua trajetória profissional e o processo para obter o visto

 

CAMILA DE SOUZA SEGALOTTI é uma alumni de destaque internacional. Formada em Direito pela UniFAJ (Grupo UniEduK) em 2013, ela trabalha na área desde o primeiro ano do curso, foi aprovada no exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) antes da conclusão do curso e recebeu inúmeros prêmios em sua carreira. Atualmente, ela mora nos Estados Unidos e conta ao Grupo UniEduK como todo aprendizado em território brasileiro influenciou na conquista do visto na categoria EB2 NIW – National Interest Waiver.

“Em 2019, eu me mudei com meu marido e três filhos para o estado de Utah, nos Estados Unidos. Eu cheguei como estudante e ainda não tinha certeza se ficaríamos apenas um período ou se realmente criaríamos raízes nesse país. A partir disso, eu busquei conhecer escritórios e juristas americanos. Tive a oportunidade de conhecer o sistema jurídico americano, conheci um dos principais sócios de um importante escritório americano, estabelecido há mais de 80 anos na cidade de Salt Lake City, UT, que depois de conhecer a minha história e a minha trajetória, avaliou a elegibilidade para um visto de trabalho na categoria de ‘National Interest Waiver’”, conta Camila.

 

GRUPO UNIEDUK: O que é o visto na categoria EB2 NIW?

CAMILA SEGALOTTI: O visto na categoria “EB-2 NIW”, é uma das modalidades mais criteriosas e desafiadoras, isso porque é necessário cumprir inúmeros requisitos ligados à educação, além de possuir habilidade excepcional comprovada e demonstrar que a sua atividade beneficiará os Estados Unidos. O estrangeiro que se qualifica para o NIW é dispensado do processo convencional de certificação de trabalho.

 

GRUPO UNIEDUK: Como foi o processo para o visto na categoria EB2 NIW?

CAMILA SEGALOTTI: Eu fui avaliada criteriosamente pelos advogados de imigração responsáveis pelo meu caso e quando tive a resposta técnica de que eu realmente estava qualificada para essa aplicação, eu decidi seguir em frente em busca da residência permanente (Green Card) nos Estados Unidos por meio do visto EB2 NIW. Foram seis meses para a elaboração da minha tese e um processo com mais de 1.400 mil páginas.

A alumni de Direito no dia da sua formatura com colegas do curso

 

 

  •         Destaque Profissional

CAMILA SEGALOTTI: Entre tantas solicitações e documentos comprobatórios, destaco, principalmente, os documentos ligados ao meu histórico educacional e profissional. Precisei comprovar minha habilidade excepcional e destaque desde à época da faculdade, quando fui aprovada no exame da Ordem antes mesmo da conclusão do curso, além de prêmios que recebi por me destacar na área. Foi necessário juntar inúmeras cartas de recomendações, emitidas por profissionais de grande destaque, como juízes, delegados, desembargadores e outros profissionais da área e peritos no assunto, que conheceram e acompanharam a minha trajetória como aluna e também como advogada. Além disso, precisei validar o meu diploma, apresentar o meu perfil profissional e elaborar um complexo plano de negócios que foram anexados com a opinião de um renomado perito americano. Precisei comprovar, também, destaque no âmbito financeiro e provar também minha vivência e evolução como empreendedora. Em 2013, eu abri uma pequena empresa de serviços e peças para veículos pesados no Brasil, que após cinco anos de muito trabalho (paralelo ao Direito) foi avaliada em R$2.0000,000.

FRASE DESTAQUE 1: Precisei comprovar minha habilidade excepcional e destaque desde à época da faculdade, quando fui aprovada no exame da Ordem antes mesmo da conclusão do curso, além de prêmios que recebi por me destacar na área.

 

  •         Processo criterioso

CAMILA SEGALOTTI: Enfim, mais que criterioso, posso dizer que esse processo foi um desafio de vida para mim, é um processo longo, com muitas as exigências e critérios, que demandou muita dedicação e cuidado. Para concluir, três meses após o protocolo do meu caso, minha família e eu recebemos a aprovação do work permit e também o SNN (documento de identidade americano). No momento, aguardamos a decisão do segundo processo que se refere ao ajuste de status (Green Card) e a entrevista que deve acontecer até maio/2021. Estamos confiantes que, após essa última etapa, receberemos a residência permanente e quando tivermos cinco anos vivendo nos Estados Unidos, seremos elegíveis para solicitar a cidadania americana.

 

olho-materia_2 (1)

GRUPO UNIEDUK: Como o aprendizado adquirido na UniFAJ influenciou nesta conquista?

CAMILA SEGALOTTI: O aprendizado adquirido na UniFAJ influenciou nessa conquista, assim como em tudo relacionado à pessoa e profissional que sou. Não tenho dúvida de que todo direcionamento, ensinamentos e paciência vindos dos experientes e competentes professores que tive, somaram para que eu pudesse me preparar para todos desafios que vieram e também para os que ainda virão.

olho-materia_3

  •         Estágio

Por meio da UniFAJ, eu tive oportunidade de dar o primeiro passo quando iniciei como estagiária no Fórum de Jaguariúna, nesta oportunidade eu aprendi coisas que vão muito além da prática jurídica, eu aprendi com profissionais competentes e éticos, professores e seres humanos exemplares.

FOTO 2 (1)

  •         Exame da OAB

CAMILA SEGALOTTI: Tudo que a UniFAJ me proporcionou enquanto aluna, foi essencial para o meu avanço. Destaco uma das minhas primeiras conquistas: a aprovação no exame da ordem, no 9º semestre – a UniFAJ junto aos seus professores, me transmitiram todo o seu conhecimento, me incentivaram e acreditaram em mim. Eu fui aprovada no exame antes mesmo de concluir o curso, por mérito meu e também da UniFAJ por meio do seu sistema de ensino somado ao melhor corpo docente. Todo conhecimento que eu adquiri nas aulas diárias, foi suficiente para minha aprovação no exame. Eu não precisei fazer cursos extras de preparação para OAB. Enfim, todo aprendizado adquirido ao longo dos cinco anos em que fui aluna da UniFAJ, foi a base sólida que eu precisava para começar, seguir em frente, avançar e evoluir pessoal e profissionalmente.

 

olho-materia_4

GRUPO UNIEDUK: Quais foram os principais desafios para essa conquista?

CAMILA SEGALOTTI: Os principais desafios para essa conquista foram tomar a decisão de sair da minha zona de conforto, buscar novos desafios e arriscar novos passos no país mais poderoso do mundo. Se manter firme e confiante mesmo diante de todas as barreiras e dificuldades, arriscar e se dedicar para um projeto tão criterioso, conseguir reunir todos os documentos e evidências para provar a elegibilidade em um caso de interesse nacional e por último, a incerteza da aprovação, pelo fato de saber que o futuro, a partir daquela aplicação, ainda dependia de uma dura análise da banca americana de agentes de imigração, principalmente, porque essa decisão poderia mudar a minha vida e também a vida da minha família.

 

GRUPO UNIEDUK: Quais são os próximos passos/planos?

CAMILA SEGALOTTI: Eu pretendo fazer uma especialização, me habilitar como advogada no estado de Utah, por meio da prova da ABA (prova similar a oab) e exercer a profissão na área de imigração.

 

GRUPO UNIEDUK: Quem era você antes de estudar?

CAMILA SEGALOTTI: Antes de estudar eu era uma jovem, que trabalhava desde os 13 anos e foi mãe aos 16. Sempre fui muito sonhadora, às vezes sonhava até demais…. Distraída, brincalhona com pessoas próximas, séria e tímida com desconhecidos. Sempre fui muito perseverante. Quando eu estava determinada a fazer certa coisa, ninguém mudava isso. Eu seguia em frente mesmo que ninguém me apoiasse.

 

  •         O sonho de ser advogada

CAMILA SEGALOTTI: Sempre disse que seria advogada, mesmo sem qualquer referência na família ou entre conhecidos. Sinceramente, eu me matriculei no curso de Direito, sem noção nenhuma do que vinha pela frente, era muito independente, mas um pouco inconsequente. Não via problema em nada, sempre acreditei que eu poderia ser e fazer o que eu imaginasse. Eu não gostava de ler e não era estudiosa, mas sempre buscava informações, era muito curiosa. Quando resolvi fazer a matrícula na faculdade, eu trabalhava como recepcionista em uma escola de inglês, ganhava R$500,00 e a mensalidade do curso era quase isso. Ninguém acreditava que isso poderia dar certo. Apesar de todas dificuldades e barreiras, eu sempre acreditei que podia. Eu sempre fui corajosa e determinada, quando alguém me dava uma oportunidade eu dava o meu melhor.

FOTO 3

 

  •         As mudanças

CAMILA SEGALOTTI: Mesmo com medo, muitas inseguranças e um pouco imatura, eu tomei a melhor decisão, me matricular no curso de Direito. Com o passar do tempo, eu fui evoluindo, adquiri conhecimento, meus pensamentos estavam mais centrados, eu passei a enxergar as coisas por um outro ângulo, desenvolvi senso crítico, ético e com certeza adquiri maturidade pessoal e profissional, me tornei uma pessoa mais responsável, dedicada, conheci pessoas que ajudaram na minha evolução, pessoas que eu admiro, professores que me mostraram o caminho e me ensinaram tudo o que eu precisava saber para começar e para seguir em frente. Depois de estudar, eu passei a entender que só o conhecimento e a educação podem mudar a vida de uma pessoa e a forma como ela age e pensa.

olho-materia_5

 

GRUPO UNIEDUK: Por que resolveu estudar? Alguém te apoiou nessa decisão?

CAMILA SEGALOTTI: Eu resolvi estudar porque eu sempre fui inquieta, até hoje sou. Eu tenho uma necessidade biológica de fazer algo e naquela época não era diferente. Eu queria fazer o curso de Direito, queria ser advogada e ficava imaginando o futuro. Primeiramente eu achava lindo ser advogada, não tinha noção de quantas oportunidades e portas se abririam para mim a partir disso. Em um dia pensei em me matricular, no outro fiz a matrícula. Meus pais não tiveram essa oportunidade, não cursaram faculdade, mas me apoiaram e tinham orgulho em dizer que a sua única filha estudava Direito. Me ajudaram financeiramente, quando, muitas vezes, não sobrava dinheiro nem para o ônibus, me apoiaram ajudando na educação e cuidados com o meu filho enquanto eu trabalhava e estudava. Me ajudaram, simplesmente acreditaram que eu seria capaz.

 

GRUPO UNIEDUK: Em que essa decisão mudou sua vida?

CAMILA SEGALOTTI: Essa decisão mudou a minha vida porque depois iniciar no curso de Direito, eu enxerguei novas possibilidades, adquiri conhecimento que vão muito além de livros e aulas, eu evolui profissionalmente e também como ser humano. Por meio dos exemplos que tive, me tornei uma profissional ética e segura. Muitas portas se abriram para mim, tive oportunidades que jamais teria se tivesse desistido.

 

GRUPO UNIEDUK: Por que escolheu Direito?

CAMILA SEGALOTTI: Escolhi Direito porque sempre admirei a profissão e, mesmo sem quaisquer referências na família ou conhecidos. Sempre tive esse sonho e busquei realizá-lo.

 

GRUPO UNIEDUK: Por que escolheu a UniFAJ?

CAMILA SEGALOTTI: Escolhi a UniFAJ porque era a faculdade mais próxima da cidade onde eu morava, Amparo/SP, e além disso tinha amigos que estudavam lá e me deram ótimas referências.

 

GRUPO UNIEDUK: O que diria àqueles que querem estudar Direito?

CAMILA SEGALOTTI: Não desistam dos seus sonhos, sejam determinados em buscar o que acreditam. As dificuldades difíceis virão, mas se você for dedicado, perseverante, humilde, você vai vencer.

 

Confira outras histórias de alumnis de sucesso:

 

Texto: Tatiane Dias – (MTB 67029)